Romance com o duque
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Nota: 5/5


Eu amo romances de todos os tipos, inclusive os de época. Na verdade se eu não tomar cuidado vai acabar virando um vício (não que isso seja ruim). O escolhido da vez foi o da autora Tessa Dare que eu li junto da minha amiga do Me afogando em livros (ela terminou primeiro, como sempre rs) e nós duas amamos.

Sinopse: Izzy sempre sonhou em viver um conto de fadas. Mas, por ora, ela teria que se contentar com aquela história dramática. A doce Isolde Ophelia Goodnight, filha de um escritor famoso, cresceu cercada por contos de fadas e histórias com finais felizes. Ela acreditava em destino, em sonhos e, principalmente, no amor verdadeiro. Amor como o de Cressida e Ulric, personagens principais do romance de seu pai. Romântica, ela aguardava ansiosamente pelo clímax de sua vida, quando o seu herói apareceria para salvá-la das injustiças do mundo e ela descobriria que um beijo de amor verdadeiro é capaz de curar qualquer ferida. Mas, à medida que foi crescendo e se tornando uma mulher adulta, Izzy percebeu que nenhum daqueles contos eram reais. Ela era um patinho feio que não se tornou um cisne, sapos não viram príncipes, e ninguém da nobreza veio resgatá-la quando ela ficou órfã de mãe e pai e viu todos os seus bens serem transferidos para outra pessoa. Até que sua história tem uma reviravolta: Izzy descobre que herdou um castelo em ruínas, provavelmente abandonado, em uma cidade distante. O que ela não imaginava é que aquele castelo já vinha com um duque.

Resenha: Isolde Ophelia Goodnight, ou somente Izzy, é filha de um escritor que cresceu envolta em um mundo fantástico criado por seu pai. Porém quando ele morre Izzy se ve perdida no mundo, sem ninguém para ajuda-la e sem nada, absolutamente nada mesmo. Suas esperanças renascem quando ela recebe uma carta informando que seu padrinho o Conde de Lynforth faleceu e que ele deixou uma herança para ela. Para Izzy qualquer quantia em dinheiro que seja irá ser bem vinda, afinal ela não tem nem o necessário para se alimentar.

Quando chega ao local marcado pelo executor ela se depara com um castelo tão decadente que o cocheiro que a leva até la pergunta seu nome para o caso dela tipo desaparecer. Ignorando o que o homem diz Izzy junta toda sua coragem e entra no pátio central do castelo. La Izzy não encontra o executor do testamento, e como se as coisas ja não estivem ruim o suficiente para o lado dela começa a chover. Agora Izzy esta sozinha, com tanta fome que parece prestes a desmaiar e molhada. Quando Izzy esta rindo das ironias do destino avista ao longe um homem alto, sensual e atraente (palavras da personagem, juro) parado não muito longe dela.

“Existem coisas na natureza cuja beleza vem de sua estrutura delicada e simetria perfeita (...) e existem as coisas que são lindas por seu poder natural e por sua recusa em serem dominadas (...). Aquele homem diante dela? Ele pertencia, sem nenhuma dúvida, à segunda categoria.”

Ransom William Dacre Vane, ou simplesmente o Duque de Rothbury é um homem que vive recluso desde que um acidente no passado o desfigurou. Tal reclusão faz com que as pessoas acreditem que ele esta morto e ele não esta nem um pouco afim de desmentir a crença delas. Quando Izzy chega a seu castelo tudo que Ransom quer é que ela vá embora, mas isso não vai acontecer tão cedo.

Depois de algumas situações que acontecem com os dois no momento em que se conhecem (só lendo para descobrir) o executor finalmente aparece para dizer o que ela ganhou de herança de seu padrinho. E é ai que a porca torce o rabo, pois a herança de Izzy nada mais é do que o Castelo Gostley, a casa de Ransom. E ele não esta nem um pouco afim de abrir mão do que ele tem certeza que é seu e de mais ninguém. Ela também se nega a sair de lá, afinal o castelo foi deixado a ela e é o único lar que ela tem no momento.

“Você pode me carregar para fora, se quiser. Mas eu vou voltar. De novo e de novo. Quantas vezes forem necessárias. Porque agora este é o meu castelo. E eu não vou embora daqui!”.

~♡~

Eu adoraria poder falar mais da história mas ai acabaria com toda a graça. Então vamos direto ao que eu achei.

Eu simplesmente amei a história e os personagens. Ransom é um mocinho ranzinza, desbocado e lindo (agora sou eu falando rs). Ele passou por momentos difíceis e que ainda interferem em sua vida, então não o julgo por ser um resmungão. Izzy é uma mocinha desacreditada do amor e com a auto estima la no chão. Aos 26 anos ela continua encalhada e acha que vai continuar assim. O mais perto de romance que ela ja chegou foi nas histórias escritas por seu pai. Quando ela fala sobre ser feia ou se compara com alguém da uma vontade de abraçar ela.

" "Srta. Goodnight, eu sou um homem que passou muito tempo na solidão. Você é uma mulher indefesa e sedutora. Preciso soletrar? Você corre P-E-R... igo.”Ela abafou uma risada. "Sua capacidade de soletrar é um pouco assustadora." "

Os personagens secundários do livro também são muito bem trabalhados, eles não são meros enfeites usados só para fazer volume. Assim como os principais eles também me proporcionaram algumas risadas.

Esse romance diferente de alguns outros de época tem um toque mais sensual, mas assim como outros que eu ja li o humor se faz presente. E eu adoro livros que me fazem rir, então esse tem a combinação perfeita.

A escrita da autora é maravilhosa, você le com uma fluidez tão boa que quando ve ja acabou (amém por isso, ninguém merece uma leitura massante) e quando acaba se arrepende de ter lido tão rápido. Eu ainda não tinha lido nada dela então fico feliz de ter tido uma boa experiência de leitura, assim fico mais tranquila para ler os outros livros, coisa que vou fazer logo logo.

Um Comentário